Perigo na cozinha: cuidado com alimentos ultra-processados

Em um determinado momento da minha vida quando começaram a aparecer vários problemas de saúde eu tive que parar e reavaliar como estava levando minha vida. Na verdade, esse foi o conselho do meu médico que me alertou quanto aos resultados nada bons do meu último exame para check up. Ele me alertou inclusive que se eu não alterasse o meu estilo de vida, o que incluia alimentação e fazer exercícios, provavelmente teria vários problemas de saúde.

Foi ai que resolvi parar e reavaliar meus hábitos de alimentação. E pesquisando sobre isso na internet vi muita coisa que me ajudou a querer pesquisar ainda mais sobre o assunto. Havia certos conceitos que eu nunca havia ouvido falar na minha vida. Um destes conceitos que vi em uma daquelas reportagens alarmantes com letras garrafais era sobre alimentos ultraprocessados. “Mas que diacho é isso?” pensei assim que vi a matéria. Bem, para simplificar a conversa e ir direto ao ponto, tem a ver com uma forma de classificação que é usada para se referir aos alimentos dependendo do grau de transformação que sofreram e para isto há quatro classes em que os alimentos podem se encaixar: in natura, ingredientes culinários, processados e ultraprocessados.

Os alimentos in natura são aqueles que estão em seu estado natural, como são extraídos na natureza com manipulação mínima, não receberam nenhum tipo de aditivo e nem de longe passaram por qualquer transformação que lhes alterasse o seu estado. Alguns exemplos de alimentos in natura são as frutas, cereais, legumes, leite e assim por diante.

Os alimentos que se enquadram como ingredientes culinários sofreram algum tipo de ação humana para que pudessem chegar até nossas cozinhas, como é o caso do sal, do óleo vegetal, açúcar e alguns tipos de gordura animal. Embora tenham passado por algum tipo de processo de produção, tratam-se de processos considerados simples como moagem, prensagem, secagem e assim por diante. É o caso também de alimentos que foram extraídos de alimentos in natura como é o caso do fubá, farinha da mandioca, etc desde que não tenham recebido aditivos.

Os alimentos processados são aqueles que para serem feitos podem ter sido usado como matéria-prima alimentos in natura ou ingrdientes culinários só que passam por algum tipo de processo que adiciona algo a mais como o sal, o açúcar ou outras substâncias de uso culinário para aumentar o tempo de duração. Então são alimentos que recebem algum aditivo (natural ou químico) que lhes modifica o sabor, que altera sua consistência ou mesmo que lhes aumente o tempo de duração (com acréscimo de conservantes, por exemplo). Se encaixam nestes alimentos pães, conservas, alguns tipos de carne, etc. Então são alimentos cujo principal elemento são derivados de alimentos in natura ou ingredientes culinários e que combinados ou isoladamente receberam algum tipo de transformação que lhes modificou o sabor, a textura, a durabilidade, etc mas sem acrescentar nada mais além dos itens citados anteriormente.

E por fim temos os alimentos ultraprocessados. São alimentos que podem ser criados a partir das três classes anteriores mas com a diferença de que recebem muitos tipos de aditivos que usualmente não se classificam nas classes anteriores e que não poderiam ser usados como alimentos isoladamente por se tratarem de substâncias fabricadas em laboratório ou produtos químicos que não podem ser usados como alimentos se tomados de forma isolada. Geralmente os alimentos deste grupo possuem essências artificiais, xaropes produzidos na indústria usando processos químicos, derivados de petróleo como vários tipos de hidrocarbonetos, um monte de elementos que você não compra na feira livre que são produzidos por indústrias químicas.

Muitos estudiosos não consideram os alimentos desta última classe como alimentos verdadeiros devido ao seu baixo teor nutricional e o excesso de substâncias químicas que podem causar mal. Se encaixam nesta categoria salsichas, bolachas, vários tipos de cereais matinais, vários tipos de bebida láctea, refrigerantes e por ai vai. De acordo com vários especialistas você deveria ficar longe de alimentos dessa classe se quiser ter uma boa saúde. Quanto aos alimentos processados o ideal é que você diminua a ingestão desse tipo de alimento no seu cardápio. O ideal para se alimentar de acordo com especialistas são os alimentos in natura e os ingredientes culinários. Quanto mais desses dois tipos de alimentos você tiver no seu cardápio, é claro, de forma balanceada e equilibrada, mais provavelmente estará consumindo melhor alimento para você e sua família.

Eu modifiquei o meu cardápio e já se fazem 19 meses e o resultado é que melhoraram meus indicadores de triglicérides, glicose, meu peso, minha disposição física e mental. O que posso dizer ? Não acredito que os especialistas estão errados, eu sou apenas um blogueiro compartilhando minhas pesquisas, e atesto que acredito que há evidências de que podem estar corretas as suas descobertas. Da próxima vez que for ao mercado, antes de comprar, dê uma olhadinha na embalagem e veja a composição do que está comprando. Aliás, você provavelmente vai se assustar quando começar a reparar que muito daquilo que vendem como saudável, inclusive para crianças, deveria ficar muito longe da sua mesa e da sua despensa se quiser ter saúde de verdade. Faça o teste e depois compartilha aqui.