Está na hora de reformar ?

No Comments

Está na hora de reformar ?

Não é de hoje que muitos pesquisadores apontam a necessidade de reformas na Previdência. O modo como as regras atuais foram feitas acabam realocando riquezas muitas vezes de forma injusta, o que cria muitas distorções na economia. Quando você premia o trabalhador por ter contribuido por mais tempo e com valores crescentes à Previdência Social com uma aposentadoria justa e digna você acaba naturalmente fortalecendo o sistema, mas quando a Previdência Social acaba criando benefícios que servem apenas como uma forma de transferir renda de quem contribui para quem apenas precisa, acabamos criando distorções que desincentivam quem contribui a contribuir mais, até mesmo pelo medo de investir numa canoa furada, e ao mesmo tempo incentivamos as pessoas a buscarem uma forma de se “encostar” na Previdência ao invés de trabalhar e conseguir o seu sustento por conta própria. Assim, temos gente que tem condições de trabalhar mas faz de tudo para permanecer indefinidamente recebendo auxílio-doença, mesmo que já tenham recuperado sua capacidade para o trabalho. Atualmente, um modo que as pessoas tem usado para conseguir este intento é conseguir Prorrogar seu benefício de auxílio-doença automaticamente por meio do PP ou Pedido de Prorrogação, ainda que já esteja apto para o trabalho, já que automaticamente o INSS paga o benefício até a data da próxima perícia. Como em muitos postos do INSS a períca chega a demorar 03, 04 e até 05 meses, o segurado fica recebendo mesmo que já esteja apto por falta de uma perícia mais célere. Multiplique isso por milhões de pessoas e tem-se um rombo enorme na Previdência e no mercado de trabalho, além dos prejuízos que as empresas tem por ter seu trabalhador afastado por um tempo que talvez não precisasse, obviamente a empresa perde, a economia perde, o país perde e até o próprio trabalhador perde já que os recursos são escassos e um dia ele vai precisar se aposentar. Outra forma em que ocorre uma redistribuição injusta e também distorsões é por meio do auxílio-reclusão em que muitas vezes algumas pessoas se aproximam de presos com o objetivo de receber o benefício e para isso até mesmo chegam ao ponto de engravidar para poder receber o benefício em nome da criança enquanto o pai estiver preso.

Estamos falando de recursos que são transferidos do trabalhador para pessoas que não necessáriamente precisariam estar naquelas condições e enquanto isso, quem realmente trabalhou e contribuiu por 35, 40 e em alguns casos até por 45 anos acaba tendo seu benefício cada vez mais achatado por causa das perdas inflacionárias e da dificuldade que existe em atender tantas demandas que vão sendo acumuladas na Previdência Social, como se fosse uma casa assistencial.

Acredito e a mídia vem propagando que há necessidade de reformas e muitos trabalhadores concordam que o momento é oportuno. A dúvida é se essa reforma vai beneficiar realmente os trabalhadores ou se continuarão existindo privilégios para quem não contribui de forma equilibrada com a Previdência Social, ou seja, segundo o critério do benefício que espera receber ou que recebe, enquanto uma grande massa que realmente paga e sustenta o Regime depois fica à merce de pagamentos minguados para sobreviver.

Além do mais, é chegada a hora de coibir fortemente as manipulações jurídicas que beneficiam grandes empresas que devem fortunas à Previdência Social para que estas empresas sejam obrigadas a pagar de forma célere o que devem ou deixem o mercado para quem vai contribuir como deve.

Sem uma reforma séria e honesta podemos esperar apenas mais prejuizos à classe trabalhadora e no longo prazo o empobrecimento daqueles que tanto fizeram pela sociedade e pelo país.

Deixe uma resposta