sábado, 30 de outubro de 2021

Quem realmente é bom ?

Os bons são bons e não tem a pretensão de agarrar o poder com isso.

Todos os dias nos deparamos com problemas. Alguns são fáceis de resolver, outros extremamente difíceis, complicados e às vezes tão complexos que podemos encara-los como verdadeiros desafios. Como lidar com a complexidade da vida moderna? Complexidade? Sim, a vida moderna é complexa, cheia de contradições que coexistem lado a lado. Parece irônico o fato de que se por um lado a tecnologia trouxe mais conforto e qualidade de vida (como é o caso da televisão, do celular, do avião e tantas outras inovações), por outro, a constante busca por bens materiais e o envolvimento cada vez maior com coisas ao invés de com pessoas acabou aumentando a distância entre os seres humanos e corroendo parte dos valores sociais.

Assim, hoje muitos valores sociais foram invertidos e são transformados diariamente. Nem sempre o que tem valor hoje é o que terá valor amanhã porque a sociedade muda muito rápido, o desapego a tradições e costumes faz com que a sociedade se transforme muito rapidamente e com isso seus valores também acabam se transformando.

Por isso surge a questão: quem é realmente bom ? Note que o conceito de bondade não pode ser relativo a menos que a própria bondade esteja sujeita a revisão. Mas será que é o caso ? Será que não existem princípios que são universais e ao mesmo tempo estáveis ? É sobre estes princípios que devemos construir o alicerce das nossas vidas. Somente por fundar nosso caráter e educação em cima de princípios sólidos, tão sólidos como uma rocha, é que poderemos construir uma vida justa e boa, que reflita bondade para nós e para outras pessoas.

E você? O que acha da bondade? Acredita que ela existe? que ela é estável? que possui lugar no mundo moderno ? Será que o bom precisa "aparecer", chamar atenção para si mesmo ? Se sim, será que o chamado bom é realmente bom ou suas motivações são outras e a aparente bondade é só um meio para um fim ? Deixe seu comentário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário